Defesa 2:2 na iniciação do futsal


Tendo em vista que muitas pessoas que trabalham com Futsal têm receio em jogar com defesas mais abertas e agressivas, por acreditarem que defesas abertas deixam muitos espaços vazios e por isso, são mais vulneráveis, escrevo este artigo, mostrando que a defesa 2:2 pode ser utilizada com êxito, e que a iniciação é um local no qual uma defesa 2:2 deve ter funcionalidade bem simplificada que transformam sua estrutura aparentemente aberta em algo bastante compacto.
Vocês podem observar que destaquei as palavras regras de ação e estrutura, e isso é proposital, pois todo esquema defensivo é um subsistema de um sistema maior: o jogo. Dessa forma, por ser sistema ele possui três características imprescindíveis: possui uma estrutura, possui uma funcionalidade e elementosque o constituem, estes, com base nas referências estruturais e funcionais do sistema, possuem autonomia para tomar decisões que influenciam em todos os outros elementos componentes do sistema defensivo.
estrutura de um esquema defensivo é exatamente aquilo o que todos nós costumamos ver objetivamente. É o desenho do jogo, a foto, a imagem paralisada de uma proposta defensiva.
Abaixo, uma foto e uma imagem (estrutura) de um sistema defensivo 2:2 que é formado por duas linhas defensivas, cada uma com 2 jogadores que jogam juntos em suas respectivas linhas. Chamaremos a linha mais próxima do goleiro de segunda linha defensiva e a linha mais afastada do goleiro de primeira linha defensiva.
Defesa 2:2 e suas linhas defensivas


Muitas vezes, ficamos exclusivamente focados no olhar estrutural do esquema defensivo adotado e esquecemos-nos de observar que essa estrutura deve funcionar através de regrinhas que orientem os jogadores a fazê-lo se organizar de forma coesa, sem perder de vista a sua estrutura.
Gosto do 2 :2 desde a iniciação e, em idades menores ou mesmo em equipes com pouco tempo de trabalho, costumo utilizar um esquema 2:2 com regras funcionais básicas que facilitem as tomadas de decisão dos defensores. Claro, que como todas as defesas, haverá problemas e fraquezas, mas vou comentar um pouco sobre a funcionalidade da defesa 2:2 que costumo utilizar, para observamos que seu objetivo é, ao contrário do que ela aparenta, tornar-se sempre fechada, capaz de proteger bem o alvo e distanciar a bola da baliza.
Vale ressaltar que esta é apenas uma das inúmeras possibilidades de se desenvolver funcionalmente uma defesa 2:2. Existem outras variantes, porém, pensando na iniciação, acredito que este formato que será apresentado pode ser bastante útil.
Quando seguir seu adversário?
Geralmente, as maiores dúvidas em idades iniciantes se dão no momento de decidir se seguir ou não seu atacante direto, tendo em vista que ainda nesta fase do processo de aprendizagem, há uma relação muito presente entre o defensor e seu atacante direto, como em um esquema defensivo individual.
Quando seguir seu adversário direto:
Jogando na segunda linha defensiva:
Sempre que seu atacante direto se movimentar com ou sem bola no sentido da largura da quadra é importante segui-lo, pois realizar trocas de marcação pode ser demorado e duvidoso. A relação de individualidade defensiva ainda é bastante útil na iniciação, além de ser uma forma de que o aluno descentre sua atenção exclusivamente da bola. Relembro que, esta é uma possibilidade de que a defesa funcione. Existem outras possibilidades que podem ser bastante úteis também.
Jogando na primeira linha defensiva:
Sempre que seu atacante direto se movimentar com ou sem bola no sentido da profundidade da quadra, realizando deslocamentos para jogar como pivôs passando pela sua frente. Ao passar pela sua frente no sentido da segunda linha defensiva é muito importante seguir seu marcador direto, pois ele ocupará as costas de seu companheiro mais próximo, causando erro defensivo.
É importante destacar que o jogador da primeira linha que sobra, deve manter-se a frente de seu atacante direto, equilibrando a defesa o tempo todo.

Quando seguir seu adversário indireto:
Jogando na Primeira linha defensiva: sempre que seu atacante indireto se movimentar com ou sem bola no sentido da profundidade da quadra, realizando deslocamentos para jogar como pivô passando pela sua frente. Ao passar pela sua frente no sentido da primeira linha defensiva é muito importante seguir seu marcador indireto realizando troca defensiva com seu companheiro de equipe mais próximo, pois ele ocupará as costas de seu companheiro, causando erro defensivo.

É importante destacar que os dois jogadores da primeira linha que sobram, devem manter-se a frente de seus atacantes diretos, equilibrando a defesa o tempo todo (ver setinha vermelha).
Quando não seguir seu adversário direto:
Jogando na primeira linha defensiva: sempre que seu atacante direto se movimentar com ou sem bola no sentido da largura da quadra, realizando deslocamentos mais lateralizados trocando de posição com seu companheiro. Esse tipo de movimentação geralmente provoca erros, pois o defensor segue seu adversário direto que realiza um cruzamento simples com seu companheiro atacante, fazendo-o sobrar com um grande espaço de jogo frente ao gol estando com a bola ou em condições de receber a bola. Dessa forma, é melhor não segui-lo, trocando de atacante direto com seu companheiro da defesa, característica básica da defesa em zona (trata-se do início a este estímulo).

Posso deixar a bola às minhas costas?
A linha da bola é outra referência funcional muito importante. Uma regrinha que os jogadores da primeira linha defensiva deve adotar é sempre manter a bola à sua frente quando ela estiver de posse dos adversários. Logo, se o ataque quebra a 1ª linha da defesa, todos os jogadores da primeira linha defensiva devem retornar, deixando a bola à frente de uma linha imaginária, protegendo novamente o seu alvo. Essa é a forma possível de se realizar cobertura defensiva numa defesa 2:2.

Conclusão:
São algumas regrinhas que transformam a estrutura de uma defesa 2:2 em uma defesa que possa ser mais fechada do que aparenta.
Cada uma destas regras deve ser ensinada por meio de atividades que permitam aos alunos compreenderem como estas regras devem ser realizadas, através da presença de jogos que estimulem a ocorrência de ações ofensivas que gerem as dúvidas defensivas à cima destacadas.
Lembrete: esta é apenas uma verdade. Existem outras. Todas elas possíveis de serem operacionalizadas. Fica minha dica a quem interessar.


Post Relacionados :

O conceito de linha da bola e a leitura de um sistema defensivo

Ataque e defesa: onde um começa e o outro termina?

Defesa – Por onde começar?

Introdução: O Jogo de Defesa

O Jogo de Defesa II

Jogo de Defesa III





As Brincadeiras e jogos no Processo ensino-aprendizagem do Futsal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário